quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

CONHECENDO O JEQUI - Igreja de São Roque

Foto: Internet
A igreja de São Roque está situada no centro do Comércio Velho, na cidade de Itaobim/MG em terreno plano, o entorno é composto de edificações residenciais  simples de apenas um pavimento, sendo a maioria de adobe com telhado em telhas  curva em cerâmica, tipo capa e bica, produzidas  na própria região, a divisão das propriedades são feitas através de cercas  de arame farpado e varas retiradas nos arredores do lugar.  Do largo da Igreja é possível avistar a Serra que dá passagem para  o Povoado de Pedra Grande e ainda as serras que dão acesso a cidade de Jequitinhonha, os bairros: São Cristóvão,Esperança, Vila Nova, Alvorada,Vila Rica,Guadalupe , também  o Córrego São Roque e o Rio Jequitinhonha. O bairro possui arborização principalmente nos quintais das residências com predominância de árvores frutíferas.
Presume-se que sua edificação ocorreu no final do séc. XIX , com a chegada dos primeiros habitantes ao vilarejo influenciados pelas missões religiosas do processo ultramontano da Igreja Católica, que ocorreu nesse período, na tentativa de se fortalecer institucionalmente. Segundo a senhora Eva Alves Costa (84 anos), foi sua bisavó, a senhora Antoninha Gil, quem doou as terras para o santo, São Roque, para que fossem construídos esta igreja e o cemitério.  Aos poucos o casario foi crescendo no seu entorno e tornou se o centro do lugarejo.  As enchentes que aconteceram no rio Jequitinhonha foram determinantes na historia local, o que também afetou a historia da igreja. Com a enchente de 1919 a estrutura da igreja nada sofreu, mas já em 1928, foi bem diferente, a parte da frente sofreu sérios danos e com a enchente de 1979, parte frontal desaba. Segundo os relatos de moradores, a igreja sofreu apenas uma intervenção após a enchente de 1979, parte de sua nave foi demolida e com isso a igreja diminuiu em seu tamanho original, descaracterizando sua fachada frontal, e, também foi  colocado uma camada de cimento por cima do ladrilho de barro original.
 A igreja mostra linhas arquitetônicas ligadas ao colonial mineiro, define  seus espaços por partido de forma retangular correspondente a duas seções:uma correspondente à nave que se alarga nos flancos da fachada principal e outra pela capela-mor.A nave  está separada do altar mor através de uma escada de madeira fixada à parede deste.
 Tem se pelas laterais duas sacristias cujo piso mantêm-se em sua originalidade em ladrilho de barro. O piso da nave e da capela-mor apresenta-se em cimento natado. O sistema construtivo mostra-se em estrutura autônoma de madeira, embasamento de pedra e vedação em alvenaria de adobe sendo que a fachada da frente por  tijolos de alvenaria. Possui portas e janelas alinhadas do tipo campas com enquadramento em madeira e vergas retas. O acesso principal à igreja é feito por uma porta em verga vedada por duas folhas de madeira, seguida de  um arco  com vedação em tijolo  reboco,.seguindo o eixo da porta principal tem-se a distribuição de  duas janelas de abrir pela lateral direita ,  pela lateral esquerda e aos fundos, os acessos secundários são feitos por duas  portas de abrir sendo uma  pela  lateral direita e outra pela esquerda, todas  de  madeira em verga reta ,pintadas em cor verde . A cobertura faz-se em duas águas, do tipo cangalha,com telhas de barro tipo capa e bica apresentando cumeeira paralela e beiral em galbo nas laterais.
A Igreja de São Roque é tombada pelo patrimônio cultural a nível municipal

Pesquisa: Jô Pinto, para processo de tombamento da Igreja

Por:

Nenhum comentário:

Postar um comentário